Road Trip Day 3: Birmingham, Alabama

Episode 01.png

Sweet Home Alabama… esse foi nosso segundo destino! Da Carolina do Norte {onde mostrei num post anterior}, partimos pro Alabama, mais precisamente para a cidade de Birmingham {pra eu acertar dizer e escrever esse nome foi pau}. Na maior cidade do estado, que abriga aproximadamente um quarto de sua população, visitamos dois locais muito interessantes!

  • Vulcan Park & Museum

A cidade de Birmingham ficou conhecida pela produção de ferro e aço, no início do século XX. A ideia de fazer a estátua de ferro do deus do fogo, Vulcan, surgiu com a esperança de fazer a cidade ser reconhecida mundialmente, e aumentar os negócios de exportação dos materiais produzidos por lá. A história é longa, e você pode conferir {em inglês} aqui.

  • 16th St Baptist Church & Kelly Ingram Park

O início dos anos 60 aqui nos Estados Unidos foi marcado por vários conflitos por conta da resistência da população branca em aceitar que os negros fizessem parte da sociedade, frequentassem os mesmos locais, tivessem os mesmos direitos na verdade até hoje existe essa resitência, né?! Mas enfim. No sul do país, esses conflitos foram ainda mais intensos.
Eis que Birmingham, no Alabama, foi uma cidade onde aconteceram os principais protestos liderados por Martin Luther King Jr {ativista e líder na luta pelos direitos civis}. A praça {Kelly Ingram Park} foi cenário desses protestos, e relata em suas esculturas, a trajetória dos acontecimentos que mudaram a sociedade, dando início à igualdade de direitos para pessoas negras.
Em uma das esquinas dessa praça, temos a 16th St Baptist Church {Igreja Batista}, que por ser frequentada por negros, e ter sido o ponto das reuniões dos grupos ativistas, foi alvo da crueldade dos brancos, que bombardearam a igreja em 15 de Setembro de 1963, matando 4 meninas. A igreja foi restaurada, e as meninas ganharam um monumento na praça, em honra de suas jovens vidas perdidas.
Nessa mesma área tem também o Birmingham Civil Rights Institute. Para quem gosta de história, e tem interesse no movimento dos direitos civis americano, Birmingham é uma das paradas principais. Muita história e luta.

  • Dreamland BBQ

Claro que tinha que ter uma parada em um barbecque americano! hahahaha
O da vez foi o Dreamland. Não tinha fila feito o 12 Bones, mas o lugar é bem interessante! Tem uma decoração massa com placas de carro com “frases” {meu sonho ter uma assim quando eu tiver meu carro hahaha}, tem também posters de músicos e bandas autografados, toda uma iluminação especial. Mas o que eu mais gostei foi a placa de luz dizendo “No farting” {sem peidos kkkkkkkk}.

E tem vídeo pra você conferir tudo isso aí que falei acima!

Se você se empolgou e quer fazer uma viagem dessas também, te conto aqui como planejar!
E logo mais tem vídeo em NOLA {New Orleans}!

Deixem suas opiniões, sugestões, críticas, ou esculhambações, aí nos comentários! 😉

Para atualizações diárias, é só seguir o Instagram e o Twitter @bellenaamerica, e o snap iammissbelle. E também se inscreve aqui no blog e no canal do Youtube pra não perder nenhuma postagem!

NO-VI-DA-DE: tô no Periscope também, e tô doida pra fazer um live! Add lá @bellenaamerica 

Xo,
Belle Azevedo.

 

Au Pair: Como Se Planejar

Au Pair

Quando eu decidi ser Au Pair, o que me ajudou muito durante o processo foi o meu planejamento.
Dentre todas as coisas que precisamos ter, comprar, pagar, facilita bastante você ter um plano de como, quê, e quando, e saber por onde começar também.
O segundo vídeo da série sobre o intercâmbio é dedicado justamente à isso: Como se planejar pra ser Au Pair!

Clica no play 😉

Eu espero que tenham gostado dessa dica! Não esqueçam de compartilhar com a galera que tá querendo morar/estudar fora também!

Já tá querendo o próximo? Aguardem! E deixem suas opiniões, sugestões, críticas, ou esculhambações aí nos comentários! 😉

Para atualizações diárias, é só seguir o Instagram e o Twitter @bellenaamerica, e o snap iammissbelle. E também se inscrever aqui no blog e no canal do Youtube pra não perder nenhuma postagem!

NO-VI-DA-DE: tô no Periscope também, e tô doida pra fazer um live! Add lá @bellenaamerica

Xo,
Belle Azevedo.

Au Pair – O Que é o Programa?

Au Pair

Olá, pessoas!

Como prometido, estou iniciando a série sobre o programa de intercâmbio Au Pair. Esse foi o programa que fiz em 2010, quando morei nos Estados Unidos pela primeira vez. Nesse tipo de intercâmbio nem tudo são flores, mas se você está disposto(a) a ter a experiência da sua vida, vale a pena! Aprimorar seu inglês conhecendo novas culturas, pessoas, e viajando, além de conhecer os seus limites e ter um crescimento pessoal que não tem preço.

Então, o que é o programa? Aperta o play 😉

Pré-requisitos:

  • Ter entre 18 e 26 anos
  • Ser solteiro(a), sem filhos
  • Conhecimento intermediário de inglês
  • GOSTAR-AMAR CRIANÇAS
  • Ter 200 horas comprovadas de experiência com crianças
  • Ter concluído o ensino médio
  • Ter carteira de motorista

Morar em outro país, independente do intercâmbio que seja, é sair totalmente da zona de conforto. Como vai ser o seu ano de Au Pair, é difícil de prever, já que depende de você e da família que você vai fechar. Tem muita coisa que dá pra ajudar nesse quesito, e eu pretendo postar o máximo de informação possível pra ajudar você que pensa em sair do Brasil pra ser Au Pair, seja aqui nos Estados Unidos, ou em outro lugar.

Já tá querendo o próximo? Aguardem! E deixem suas opiniões, sugestões, críticas, ou esculhambações aí nos comentários! 😉

Para atualizações diárias, é só seguir o Instagram e o Twitter @bellenaamerica, e o snap iammissbelle. E também se inscrever aqui no blog e no canal do Youtube pra não perder nenhuma postagem!

NO-VI-DA-DE: tô no Periscope também, e tô doida pra fazer um live! Add lá @bellenaamerica ;*

Xo,
Belle Azevedo.

NY For Christmas – Part II


Fui passar o Natal em NY novamente esse ano {2015}, mas dessa vez, resolvi registrar. Fui em alguns dos pontos mais visitados {esse é o segundo post, o primeiro você encontra aqui}, e estou dividindo com vcs aqui no blog, e no canal do YouTube também!

Hoje tem Staten Island Ferry, Subway {metrô, não o sanduíche}, Times Square, Hard Rock Café NYC, Rockefeller Center, e HOPE Sculpture. Ready?


Começando pelo Staten Island Ferry, que como eu disse no primeiro post, dá pra ir andando se você está vindo da Ponte do Brooklyn e do Financial District. O “passeio” é gratuito, e você consegue ver, dentre outras coisas, a Estátua da Liberdade no caminho. A balsa é um dos meios de transporte dos residentes das duas ilhas {Manhattan & Staten}, mas muita gente é apenas turista mesmo {como eu}, e só quer atravessar de um lado pro outro pra ver a Statue e essa vista linda aí da foto. Eu, particularmente, adoro andar de Ferry!

Manhattan vista do Ferry.

 Voltando pra Manhattan, peguei o trem lá mesmo, e fui em direção à Times Square. O Subway de New York é meio complicado, mas achei esse post de uma blogueira brasileira que mora lá, onde ela dá dicas de como se virar na cidade {com subway, táxi, busão e mais}.

A Times Square é linda! De dia ou de noite, não interessa. Aquele clarão das luzes ostentando glam é sempre mágico. Lá, além das fotos clássicas que você pode tirar, também pode visitar as várias lojas de roupas, acessórios, makeup, loja da Disney, Hersheys e M&Ms, e mais um monte que nem dá pra listar aqui. Nessa época também tem bastante promoção {mas é promoção mesmo!} pra você voltar com a mala cheia de roupa e sapato pro ano todo! Também vale dar uma passada na 5th Avenue {Quinta Avenida}.

 Essa galera vestida de personagens ganha a vida tirando foto com os turistas. Parece fácil, né? Mas você experimentaria?
Esse garoto com o cartaz “What’s your language?” {“Qual o seu idioma?”} estava parando os turistas pra saber como seria “Merry Christmas” na língua da pessoa. “Feliz Natal” já estava no cartaz {óbvio!}, e ele me ensinou como se fala em turco. Esqueci no mesmo dia 😦

É na Times Square que fica também o Hard Rock Café New York! Que eu me lembre, foi a primeira vez que entrei lá… Muita coisa legal pra se ver se você é fã de música, especialmente Rock e Pop. Também dá pra comprar umas lembrancinhas legais e comer aquele hamburguer delícia que eles têm!

De lá eu parti {andando} pra o Rockefeller Center. O lugar tava tão louco, que só filmei um pouco e nem tirei fotos {decentes}. Os arredores do Rock fica lindo com a decoração de natal. Um espetáculo de luzes, e ainda tem patinação no gelo pra quem tiver paciência pra enfrentar a fila. Também é preciso um pouco de paciência pra caminhar por lá, uma vez que fica lo-ta-do. Mas vale a pena!

Continuei com minhas andanças com o objetivo de ir até o Plaza Hotel. Infelizmente acabou ficando tarde e não foi dessa vez. Mas ficou pra próxima.

No caminho eu parei nesses enfeites clássicos da 6th Avenue {Sexta Avenida – ou Avenida das Américas} .
E esses aqui… 
Pra fechar, fui até a HOPE Sculpture, que fica na 53th com a Broadway. A fotinha tá lá no início do post. A coitada tava rodeada de gente escorada, só eu pra tirar foto de mim mesma.

Mas peraê que não acabou não! Eu te levo até a escultura e os outros lugares que citei acima, pelo menos na tela do seu computador/tablet/celular! =P

Por enquanto é só. Mas com certeza vou ter mais New York pra mostrar agora em 2016!

Para atualizações diárias, é só seguir o Instagram e o Twitter @bellenaamerica, e o snap iammissbelle. E também se inscrever aqui no blog e no canal do Youtube pra não perder nenhuma postagem!

Tá sabendo que fiz uma Road Trip passando pela Carolina do Norte, Alabama, Mississippi, New Orleans, Memphis e Nashville? Registrei tudo! Vou liberar aqui aos poucos, assim como também muita coisa legal sobre viagens, intercâmbio, e a vida! Fica no aguardo!

Xo, 
Belle Azevedo.

NY For Christmas – Part I

IMG_2770

Fui passar o natal em NY {de novo}, mas dessa vez resolvi registrar. Fui em alguns dos pontos mais visitados, e vou dividir aqui no blog, e no canal do youtube também. Hoje vou mostrar a ponte do Brooklyn, e a Wall Street {dividi os locais pros posts e vídeos não ficarem tão longos}.


Começando pela linda Brooklyn Bridge, que liga o Brooklyn à Manhattan, cortando o New York City’s East River. A ponte demorou 14 anos pra ser construída, e foi finalmente inaugurada em 1883.
“A construção da ponte durou 14 anos, envolveu 600 trabalhadores, e custou $15 milhões (mais de $320 milhões em dólar atual). Pelo menos duas dúzias de pessoas morreram durante sua construção, incluindo o designer original.” – History.com
 A caminhada e a vista são prazerosas, e você pode visitar o Brooklyn Bridge Park também, que é bem bonito e rende belíssimas fotos! Acho que o visual à noite também é bem interessante.

IMG_4209

Atravessando a ponte {vindo do Brooklyn pra Manhattan}, dá pra ir andando de boa até a Wall Street. A rua tão famosa quanto a 5th Avenida e a Broadway, fica no Financial District, que é uma área que abrange desde o final da ponte do Brooklyn, até o Battery Park. O Memorial do 9/11 {11 de setembro} também fica nessa área. Na Wall Street você encontra a bolsa de valores dos Estados Unidos, e lá se concentram os bancos de investimentos mais importantes do país. Ou seja, uma rua RYCA e poderosa!

IMG_4208

Tirando os bares e restaurantes, e a Wall Street, no Financial District você pode visitar também:
One World Trade Center {passar na frente, ou ir no observatório}
Museu do Memorial do 9/11
– Trinity Church
– Museu de Finanças dos Estados Unidos
– estátua do Charging Bull, que fica no Bowling Green Park
Imagination Playground
Governors Island
Museu Nacional do Índio Americano

De lá ainda dá pra ir no Staten Island Ferry {a balsa, que é de graça!}.
O vídeo abaixo mostra um pouco da cidade que não dorme!

No próximo vou mostrar o Ferry, a Times Square, e mais!

Pra atualizações diárias, é só seguir o Instagram @bellenaamerica e o snap iammissbelle. E também se inscrever aqui no blog e no canal do Youtube pra não perder nenhuma postagem! 😉

Xo,
Belle Azevedo.

Au Pair – A Decisão De Fazer O Intercâmbio & O Processo


Eu sempre tive vontade de viajar o mundo, e também sempre quis aprender outros idiomas {desde pequena}. Em 2008 eu fui trabalhar no Aeroporto Internacional de Recife, atendendo os voos internacionais. Ver aquele povo chegar, sair, e contar as histórias, só aumentou essa minha vontade de sair do Brasil. Foi aí que eu tive a ideia de ir estudar inglês na Europa.
Comecei a pesquisar no início de 2009, e era a única coisa que eu fazia – além de trabalhar e fingir que estudava {não estava muito feliz na faculdade}. No meio de toda minha pesquisa, sempre voltada pra Europa, eu descobri o programa de Au Pair, que era {e ainda deve ser} o intercâmbio mais acessível $$$.
Um dia uma moça da STB {agência de viagens e intercâmbio de Recife} me ligou, e eu expliquei que meu budget {orçamento} era baixo, e que os intercâmbios que eu tinha interesse, infelizmente, estavam fora de cogitação. Foi aí que essa moça me apresentou o programa de Au Pair no Estados Unidos, e me lembro até hoje que soltei um “De jeito nenhum! Eu odeio os Estados Unidos!” – paguei a língua muito bem paga, né?
Mas eu comecei a pesquisar sobre o país, sobre o programa, e minha mente começou a abrir. Nisso eu já tinha envolvido uma amiga minha, que também era louca pra morar fora e já falava inglês, e fomos as duas à uma palestra da Au Pair In America. Também lembro até hoje quando essa minha amiga bateu na mesa e disse “Vamo amanhã!“. E demos início à todo o processo – desde começar a juntar dinheiro, tirar passaporte, comprar mala… Ela já falava inglês, eu não {mas isso são palavras para um próximo post…}.
Depois que decidi virar Au Pair, as pesquisas sobre tudo que dizia respeito ao assunto passaram a me consumir! Eu larguei a faculdade {de vez, finalmente}, e todo o momento que eu tinha em frente à um computador, era pra pesquisar e estudar inglês.
Não sei agora, mas na época, era moda as futuras Au Pairs terem um blog contando o seu processo. Eu também tinha um, onde eu deixei praticamente todo o meu processo e dilemas registrados. Era legal porque, além de fonte de pesquisa, servia também de apoio moral, fora que conheci várias meninas através desse blog. Também tenho que agradecer ao finado Orkut, pois tive uma conta fake só pra juntar a aupairzada e não perder os fóruns nas comunidades. Bons tempos!
Depois de pesquisar um bocadinho, decidimos fechar com a Cultural Care. A Marina {agente da CC em Recife na época} era uma fofa! Sempre muito realista e prestativa, me ajudou bastante no processo, já que eu era super insegura {até hoje lembro dela quando ouço Unwritten}.

Quer saber? Eu acho que nada melhor pra descrever meu processo que meu antigo blog – que eu achei perdido no mundo virtual!

Pouco mais de seis anos se passaram, aquela pessoa do blog mudou, o inglês melhorou, mas to adorando recuperar um pouquinho do que eu era relendo tudo!
Vem ler comigo!

>>> eudeaupair.blogspot.com <<<

Hi!

Olá! Bem-vindo(a) ao meu mundo na América de cima. Eu me chamo Izabelle, e estou começando esse blog pra falar sobre a minha experiência de vida nos estados unidos.

Tenho uma relação de amor e ódio com a escrita, e eu gosto mesmo é de falar. Mas sou melhor escrevendo, então resolvi voltar pro mundo dos Blogs e escrever sobre de tudo um pouco.

Aqui eu irei compartilhar com vocês as minhas histórias, aventuras, opinião, comportamento, e muito mais!

Só pra resumir {se é que dá}, eu tenho 29 anos e estou morando na área de Washington DC {conhecida como DMV}, mais precisamente em Silver Spring, estado de Maryland. Entre idas e vindas, essa é a terceira vez que moro aqui {longa história, isso é só um resumão mesmo}, e meu status atual é casada-com-um-americano-no-processo-do-GC. Oremos!

Sou recifense, pernambucana, nordestina, brasileira – com muito orgulho {é…}.

Vou contando minha trajetória aos poucos aqui, porque to nessa desde 2009… São quase sete anos já desde a decisão de virar Au Pair até o dia de hoje {sim! Eu vou falar de Au Pair aqui tb!}.

Get ready pra vários posts, várias dicas, vários desabafos. E pra “entrar” na minha vida com a minha permissão! 😉

Se já tá curioso(a) pra o que vem por aí, é só seguir o blog!

Se quiser ainda mais, é só seguir o meu insta pessoal @bellenaamerica
Xo,

Belle Azevedo.