Como é Fazer um Cruzeiro Pelas Bahamas

Antes de tudo, queria dizer que ando muito sumida daqui, mas sempre com saudade de blogar no Belle na América {tô devendo alguns posts aqui, inclusive – prometo voltar mais por aqui!}.

Mas resolvi deixar registrado minha viagem pra Bahamas, até porque, rolou muito buzz lá no meu insta sobre – cruzeiro, destino, e viajar sozinha.

Então, eu decidi tirar férias ~ de verdade, porque em 2017 muita coisa aconteceu na minha saúde física e mental… e falo isso aqui de boa, na promessa de contar mais sobre no futuro. Eu sou uma pessoa que gosta de aventura, de viajar, e de vez em quando, de ficar sozinha. Ficar só depois que casa, só viajando, né? E eu tava precisando MUITO de um tempo pra organizar minhas ideias, pensar na vida, meio que um retiro, sabe?

Eu sempre quis fazer um cruise, mas sempre com muito medo de passar mal – sei lá, eu fico tonta dentro de elevador e no banco de trás do carro, imagina numa porra de um navio? Mas gente, fazer cruzeiro é tão barato, e tão conveniente, que no desespero, foi à ele que recorri. _0/

Na terça eu decidi que ia tirar férias (afinal, eu sou minha própria chefe e quem manda no meu horário sou eu, né verdade?), na quarta conversei com o Ben, e na quinta eu já tava bookando o cruzeiro + voo pra Miami.

Sobre a CIA e o Navio – Norwegian SKY

Quando comecei a procurar eu descobri que o valor que eles mostram é por pessoa! Por isso tão barato… ALOW! Só que pesquisei e descobri que duas cias oferecem oferta especial (quartos para singles), que sai por menos que o dobro do valor. A Norwegian e Royal. Como a Norwegian era mais barata, resolvi encarar ela mesmo… e também queria um navio que fosse “all inclusive” – inclusive bebida, porque mama queria dar uma desopilada, né?

Eu peguei o SKY, que faz 4 dias nas Bahamas, e oferece o que eu tava procurando – quarto single, all inclusive, etc. Eu comprei pelo telefone, e a atendente me deu um quarto com janela – eu tinha escolhido a opção “Interior” que pode ter janela ou quadro, meu deu uma cama maior e travesseiros extras. Eu falei pra ela que tava “desperate” que precisava descansar. Ela achou mais que digno e ainda disse: “Não compre wi-fi” – como se eu fosse comprar, né? Um dia de internet no navio eu pago três meses de internet aqui em casa! JEEEZ! Já fica a dica aê… esqueça internet no navio ou desembolse uma fortuna.

O navio é seguro, limpo, e a comida não deixou a desejar. Tinha um buffet no Deck lá em cima que você podia comer 24 horas por dia! À noite tinha coisa pra fazer também, mas confesso que esperava mais animação na área da piscina, sabe? Ainda assim, tinham 3 opções de entretenimento toda noite.

Antes que eu esqueça, deixa eu contar da água: você pode pedir água no bar, de boa, mas não é de garrafa. Eu preferi comprar água antes de embarcar pelo site deles mesmo, e quando cheguei no meu quarto, a água já tava lá. Foi carinha, sabe? Mas foi bom porque me mantive hidratada. Mas foram 12L por $33.

Outra coisa: depois que você faz o pagamento de tudo (do seu quarto, das taxas de gorjeta – que varia dependendo do navio), você também deve deixar um depósito em dinheiro ou no cartão – no meu caso, foi $150. Esse dinheiro volta pra você, caso não tenha comprado nada dentro do navio.

Eu usei o serviço deles de tranfer do aeroporto de Miami pro porto. Achei bom e foi $16. Também comprei umas cartelas de jogo sem querer por $20. Pense que fiquei puta… Cuidado quando eles oferecerem isso pra vocês, hein? Nada é de graça fora comida! hahahah

Eu indico sim a Norwegian, e indico o SKY, apesar de quê eles só tem esse destino, sendo 3 ou 4 dias. Eu não sei como funciona os outros navios, mas sei que eles tem mais um “all inclusive“, e também tem esquemas de adicionar coisas “free” na hora da compra.

No primeiro dia eu tava morta de cansada (saí de casa 3:30 da manhã pra pegar meu voo de DC pra Miami), também tava super empolgada! Uma sensação de liberdade do cacete! hahahaha O navio partia ás 5 da tarde, mas cheguei lá 11 da manhã. Os quartos foram liberados pouco depois de 1 da tarde, mas antes disso podíamos comer, beber, etc. Só não ir pro quarto (eles tinham atracado aquela manhã, e as camareiras estavam arrumando e limpando tudo).

MANOOOO, me senti ryca e phyna. Comida à vontade, sol e calor (que eu tava precisando porque esse inverno foi foda!), cervejinha que eu tava morrendo de saudade (no frio não rola). E aquele mar? AH aquele mar… Gente, que felicidade, viu?! Queria andar o navio todo pra saber onde tava tudo. Mas a primeira coisa que fiz quando cheguei no quarto foi organizar minhas roupas no armário e as coisas no banheiro… Típico, né? 15 minutos eu já tava me sentindo em casa.

Enfim, achei que ia passar mal, mas nem senti o negócio mexer! Comprei remédio pra nada – ainda bem! 😉

À noite eu fui comer no restaurante do navio que tá incluso – é a La Carte, chique, e comi isso aí que tá na foto – fillet + brocoli + batata. Eu já tinha largado mão da dieta, porque, né? Comi pão também! Depois fui pro teatro assistir apresentações e um show de Standup Comedy.

No outro dia eu acordei cedo (também fui dormir cedo!), mas cedo mesmo! Era o primeiro dia de Bahamas, e a gente tava parando numa ilha privada – que eu me apaixonei! Saí do navio antes das 9 da manhã com minha bolsinha, meus equipamentos de tirar selfie, meu livro, e fui ser feliz na Great Stirrup Cay.

Ai sim, viu? Vidão! E ainda tinha Piña Colada sem lei – docinha, tomei 3 sem nem sentir. O resultado depois disso foi sono, obviamente. Nem fiquei lá muito tempo – eles serviram almoço e ia ter uma festa, mas achei melhor voltar pro navio de besta que eu sou, né.

À noite acabei fazendo nada. Só comendo. Foi aí que comecei a perceber a diferença que faz tá sozinha num navio…

No terceiro dia o navio atracou em Nassau – fiquei com medo de descer, e também não tinha comprado nenhum tour. Fui com a grana contada, afinal, essa viagem não tava nos planos, né? Olhei lá de cima e achei o porto de Nassau uma visão de Recife. Sério! Até o prédio do INSS e a Casa da Cultura eu vi. hahahaha Eu pensei… quer saber? Deixa eu aqui dentro mermo.

Decidi que era dia de vinho – e eles tinham Moscato. Enfiei o pé. Comi horrores durante o dia, comecei a tomar vinho ainda de tarde, e só parei à noite quando o sono bateu. Porque a criatura não fica mais bêbada, fica com sono mesmo. Ô vida…

Vesti a mesma roupa da segunda – não foi falta de look, é que ia ter uma tal de White Hot Party, e o mais próximo de branco que eu tinha era isso mesmo… Assisti ao pôr-do-sol tomando meu vinho, relaxando, mas já morrendo de saudade do Ben e da Mel…

O último dia foi em Freeport – eu confesso que até senti vontade de fazer alguma coisa, mas também não queria nem podia gastar. O porto não tem nada, só um faz-me-rir do lado de fora do navio. Até saí, mas só pra dizer que saí mesmo.

Tirar uma foto básica e voltar? Por que não? hahahaha
Como era a última noite, eu fui de novo assistir ao pôr-do-sol, tomar vinho, e resolvi jantar no restaurante – tipo, fui a primeira e a última noite só, porque sinceramente? Eu gosto é de buffet mesmo, sabe? Pedi uma lasanha, uma foto ao garçon, fui encarada pelos casais que me olharam com m olhar de “coitada, tá sozinha”, depois fui com toda a minha solidão assistir um sorteio que eu tinha pago $20 sem querer, fui ver umas brincadeiras num dos bares – morri de rir! E fui pro meu quarto, cedo, porque eu já tava tão cansada de não ter com quem conversar, que achei melhor me recolher aos meus aposentos mesmo. Né não?

IMG_3951
Na sexta-feira, já em Miami, já de volta a minha dieta.

Na sexta ás 5 da matina eu já estava acordada, de mala pronta, olhando o navio atracar no porto de novo. Tomei banho, arrumei o resto das coisas, e fui lá pra cima aproveitar aqueles últimos minutos e o último café da manhã.

Considerações finais…

Eu sinceramente AMEI a experiência de viajar de navio. Recomendo! Tanto, que acredito tá fazendo isso todo inverno, ou quando eu precisar de um tempo pra mim – agora já sei que vou me sentir sozinha, mas faz parte.

Se der, pegue os tours que o navio oferece, ou pesquise e monte seus próprios tours – com cuidado pra não chegar depois do horário. Imagina tu volta e o navio não tá mais lá?

Se você quiser um cruise party hard, certifique-se que o navio oferece esse tipo de festa. O que eu fui não tinha isso. Tinha sim opções de entretenimento, mas não foi o auge da viagem – acho que a comida tava melhor!

Essa viagem me trouxe bastante autoconhecimento, debati comigo mesma várias questões – de vida pessoal à negócios, e percebi que:
– Eu PRECISO me socializar, e venho sentindo falta disso por morar longe da família e trabalhar pra mim (sendo eu a única empregada);
– Eu adoraria ter um buffet assim me esperando pro café da manhã, almoço e jantar;
– É possível viajar bem com menos de $1000 – essa viagem custou $800 com TUDO;
– As pessoas ainda têm a mente fechada em relação a mulher viajar sozinha, principalmente se for casada. MELHOREM.

Para mais considerações sobre a viagem, tem um vídeo aqui – primeiro episódio da série Saí da Zona de Conforto do Sua Vida Desenhada.

Tó pensando seriamente em fazer um cruise no ano-novo! Foda que é beeeem mais caro… mas como sempre, em busca do reveillón perfeito e menos frio. #oremos

Se você gostou do meu retorno, me avisa pra eu me empolgar e voltar a escrever aqui!

Bjo,
Belle  – @bellenaamerica & @suavidadesenhada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s